jump to navigation

Sim ao Sim 11/03/2009

Posted by admivan in Filmes, Textos.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
1 comment so far

sim-senhor-poster01Poster do filme “Sim Senhor!” com Jim Carrey

Porque a insistem no não?

Pensando…

Quando diz-se não a tudo

você nada tem a oferecer

logo

és facilmente substituido

você não faz falta

é nada além de mais um dos muitos que dizem

não

agora, se dizes sim

terá muito a oferecer

se tornarás insubstituível

fará muita falta, caso parta

será diferente, entre todos aqueles que dizem

não.

Pense bem…

não é da natureza humana gostar de negativas

e ouvir sempre negações

dá a sensação de que nada é possível.

ao contrário,

ouvir respostas positivas

dá a sensação de que tudo é possível

e isso é bom.

Aceite o sim. Aceite o que quer aceitar.

mesmo que tenha medo, enfrente

mesmo que não conheça, desbrave

diga sim e vá em frente.

Mova-se.

Diga sim ao sim.

A última vez 25/01/2009

Posted by admivan in Filmes, Social, Textos.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
1 comment so far
044306_451
 
 
Texto adaptado e inspirado em um trecho do filme “The ultimate gift – O presente final” cuja temática relaciona-se com a caridade, a bondade e as amizades verdadeiras. 

circulo

Era natal. Eu fiz tudo que aquela garotinha pediu, mas ela não queria muitas coisas. Só o que desejava era um natal como jamais tivera.
Sentada sobre a neve feita de algodão e olhando as estrelas: aquela garota parecia pensativa. Se ela estava triste ou feliz, eu não saberia dizer.
– No que você está pensando? – Perguntei sentando a seu lado.
– Na morte – respondeu a menina calmamente.
– Você não acha que é muito jovem para pensar nisso?
A garotinha suspirou ainda fitando as estrelas.
– Eu sou jovem demais pra isso. Não parece muito justo, não é?
Encarei o rosto pálido da menina ao meu lado e inocentemente perguntei:
– Como… como você acha que é… lá?
Suas bochechas se contraíram, mas ela não pode reprimir o sorriso. O mesmo sorriso que fez com que eu me apaixonasse 3 meses atrás.
– Acho que deve ser legal. E eu vou poder ver o papai de novo… – Falou.
Permaneci calado vendo a tristeza tomar conta daquele corpo pequeno.
– Eu não tenho medo da morte sabe, nem me incomodo em ser careca – Disse ela limpando os olhos – É só que… se eu morrer… a mamãe… ficará sozinha. Sou tudo que ela tem.
A doce garota se jogou em meus braços, encharcando meu ombro com suas lagrimas.
– Obrigado por esse natal maravilhoso. Foi muito importante pra mim.
Meus braços apertaram a garotinha, enquanto eu tentava por tudo não perder o ultimo grão de felicidade que aquela data me trouxera.
– Não importa o que aconteça… – Falei em seu ouvido – Sempre me lembrarei de você.
Era natal. Ela fez tudo o que eu pedi, mas eu não queria muitas coisas. Só o que desejava era que ela não me deixasse… mas ela me deixou…
Aquele, foi nosso ultimo natal.
Aquele, foi meu ultimo desejo.
Aquele… foi seu ultimo dia,
foi sua ultima vez.

Esse texto é uma homenagem a TODAS as crianças com câncer, que merecem nosso carinho, amor e admiração por enfrentarem o problema com tanta força e coragem.